Despejo

Agradecemos profundamente aos amigos que estiveram nessa batalha conosco. Vocês foram fundamentais para nossa resistência!

Após 56 horas de resistência, a truculência promovida pelo governador Romeu Zema, no Acampamento Quilombo Campo Grande teve um desfecho. A Escola Popular Eduardo Galeano foi demolida, nos tomaram o barracão, onde atividades da produção eram realizadas. Quatorze famílias foram despejadas. Duas famílias estão no abrigo da prefeitura. As demais foram acolhidas pelo MST, no restante do Acampamento.

Denunciamos que a área de 26 hectares do processo judicial n. 6105218 78.2015.8.13.0024, que já estavam desocupados, foi ampliada para 52 ha no último despacho da Vara Agrária e a operação policial foi além da determinada pela liminar, destruindo a casa e lavouras de sete famílias.

Nossa preocupação no momento é com a saúde de todos e todas que lutaram bravamente deste quarta-feira, 12. Qualquer contaminação que haja é responsabilidade do governador Zema, que tem a obrigação de fornecer testagem para as todas as famílias.

A tentativa do governador de massacrar as famílias do MST virou contra ele mesmo. Graças a solidariedade da classe trabalhadora de todo o Brasil e internacional, pudemos denunciar o caráter covarde e criminoso de quem governa o estado de Minas Gerais.

Agradecemos profundamente aos amigos que estiveram nesta batalha conosco, seja em Campo do Meio, seja nas redes sociais ou nos escrachos diante das Loja Zema. Vocês foram fundamentais para nossa resistência. Nós seguimos fortalecidos, mais enraizados nas terras da antiga usina e em luta, sabendo que os comandantes da morte vão pensar duas vezes antes tentar arrancar um palmo deste chão do Movimento Sem Terra. Despejo no Acampamento Quilombo nunca mais!

Fonte: Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

Newsletters

Cadastre seu email para receber notícias